Segundo a agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP), que cita uma fonte ligada ao processo que solicitou anonimato, o FBI esteve a bordo do navio de carga 'Dali', a embarcação que embateu contra a ponte e desencadeou o colapso, a conduzir várias diligências.

A investigação criminal à queda da ponte em Baltimore, no estado de Maryland, ocorrida em 26 de março, foi relatada pela primeira vez pelo jornal The Washington Post.

O porta-contentores 'Dali' deixava o porto de Baltimore na madrugada de 26 de março, carregado de carga e com destino ao Sri Lanka, quando bateu numa das colunas de sustentação da ponte, fazendo com que a estrutura desabasse no rio Patapsco.

O incidente provocou seis mortos (dois mexicanos, dois guatemaltecos, um hondurenho e um salvadorenho) entre os trabalhadores que trabalhavam numa obra na infraestrutura.

Durante as operações de socorro e de resgate, mergulhadores recuperaram três corpos, enquanto as três vítimas restantes ainda estão desaparecidas.

A presidente do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes norte-americano, Jennifer Homendy, disse na semana passada que os investigadores estão a concentrar-se no sistema de energia elétrica do enorme navio que saiu da rota.

O navio já tinha tido problemas de energia momentos antes do acidente, como evidenciado em vídeos que mostram as luzes a apagar e a acender.

Jennifer Homendy disse que as informações recolhidas do gravador de dados de viagem do navio são relativamente básicas.

"As informações na sala de máquinas serão as que nos irão ajudar tremendamente", acrescentou.

Antes da colisão, a tripulação do navio porta-contentores emitiu um alerta de emergência, que cortou o tráfego de veículos na ponte e evitou uma grande tragédia, segundo as autoridades.

O Departamento dos Transportes norte-americano disse, então, ter quatro prioridades: reabrir o porto, lidar com as perturbações da cadeia de abastecimento até à reabertura do porto, reconstruir a ponte e lidar com as implicações para os transportes terrestres até à conclusão da reconstrução.

O bloqueio do porto de Baltimore, o 9.º maior dos Estados Unidos, deverá ter graves consequências económicas para a região.

Tanto a polícia local como o secretário de Segurança Interna dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, afirmaram após os acontecimentos que não existiam indícios de que se tenha tratado de um ato terrorista ou sequer propositado, mas o FBI juntou-se às investigações iniciais.

A ponte Francis Scott Key (batizada em homenagem ao autor da letra do hino dos Estados Unidos) era a maior desta cidade do estado de Maryland, com 2.632 metros de comprimento, e suportava a passagem de mais de 11 milhões de veículos por ano.

Imortalizada na série norte-americana "The Wire", começou a ser construída sobre o rio Patapsco em 1972 e foi inaugurada em 23 de março de 1977.

JSD (DM) // SCA

Lusa/Fim