A medida foi acertada, na quarta-feira, entre a Volkswagen e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, devido à falta de peças para a produção de automóveis, causada pela crise mundial no abastecimento de semicondutores.

A principal fábrica da Volkswagen no Brasil está localizada no município de São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo, onde, segundo o sindicato, trabalham cerca de 8.200 pessoas, das quais 4.500 na área de produção, que vai ser diretamente afetada.

Inicialmente, a empresa pretendia suspender um dos turnos de produção, mas, devido ao impacto, acabou por negociar a redução da jornada de trabalho.

"É a melhor ferramenta que temos no momento, que será avaliada mês a mês e pode sofrer alterações até que a situação normalize", disse o diretor administrativo do sindicato Wellington Damasceno, em comunicado.

A medida vai ser aplicada a partir de 07 de julho, quando os trabalhadores da produção regressarem de um período de férias coletivas, outra medida determinada devido à falta de peças.

Nos últimos meses, a falta de peças obrigou a maioria dos fabricantes automóveis brasileiros a reduzir significativamente a atividade.

Entre janeiro e maio, o Brasil fabricou 888.100 veículos, ou menos 9,5%, do que no mesmo período no ano passado.

VQ // EJ

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.