"Os jogadores chegaram com os pés à terra nos últimos cinco minutos desse jogo. Nada melhor poderia ter acontecido para este grupo não andar nas nuvens. Nunca podemos tirar o foco do objetivo em cada minuto. Se baixarmos a guarda, sofremos golo e isso é impensável a este nível competitivo", advertiu o técnico, em conferência de imprensa.

Os 'cónegos' estiveram a vencer o rival concelhio por esclarecedores 3-0, em partida da quarta eliminatória da prova 'rainha', mas sofreram dois golos perto do fim, sem beliscar um triunfo moralizador, após quatro jornadas consecutivas sem vitórias no campeonato.

"Os jogadores estão muito conscientes de que, se trabalharmos como até aqui, estamos muito mais perto de conquistar vitórias, que irão validar aquilo que mostramos em termos exibicionais. Essa validação é importante na classificação, mas mantendo os pés bem assentes no chão, porque os jogos são todos difíceis. A equipa está saudável, confiante e quer prolongar o bom momento por muito tempo, de preferência com vitórias", apontou.

De fora da Taça de Portugal ficou o Gil Vicente, ao perder com o Leça (0-1), do quarto escalão, que já tinha sido 'carrasco' do também primodivisionário Arouca, levando João Henriques a esperar um adversário ferido no orgulho e no "máximo das capacidades".

"Eles vão querer mostrar que essa derrota foi um percalço no trajeto bem feito que têm feito, mas não estamos muito preocupados com isso. Sabemos que o Gil Vicente vem cá para conquistar pontos. As equipas estão muito iguais e competitivas. Vai ser no detalhe. Agora, não é por um jogo que diremos que o adversário está num momento pior", frisou.

O holandês Godfried Frimpong e o brasileiro Pablo Santos integram o boletim clínico dos vimaranenses, que nunca perderam nas sete receções aos barcelenses para a I Liga e querem retomar o campeonato numa posição "mais condizente com o seu real valor".

"O triunfo frente ao Vitória de Guimarães deu-nos a confiança que precisávamos para abordar este jogo com o Gil Vicente. Sendo o adversário e a prova diferentes, o objetivo continua igual: ganhar, dar continuidade ao que temos feito e melhorar alguns aspetos. Queremos aproximar-nos na classificação do adversário, que tem sido estável", notou.

Desafiado a analisar o rival minhoto, João Henriques elogiou os "bons valores" a nível individual, sobressaindo o espanhol Fran Navarro, quarto melhor marcador da prova, com seis golos, além de uma equipa "organizada, forte na transição e que sabe ter bola".

"Não há muitos segredos nesta altura do campeonato. As equipas conhecem-se muito bem. Olhamos para o Gil Vicente como um todo, que tem tido as suas individualidades a desequilibrar em momentos-chave. Temos pela frente uma tarefa bem difícil, mas confiamos plenamente. Se estivermos ao nosso melhor nível, vamos vencer", concluiu.

O Moreirense, 15.º colocado, com oito pontos, recebe o Gil Vicente, oitavo, com 13, na sexta-feira, às 20:15, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, no encontro de abertura da 12.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Manuel Oliveira, da associação do Porto.

RYTF // AJO

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.