"Pelos dados que já recebemos, terminámos o ano de 2023 com cerca de 900 a 920 mil turistas. É um número muito interessante, já ultrapassámos os dados de 2019", antes da crise pandémica da covid-19, revelou o governante.

O ministro justificou os dados com o "equilíbrio" entre época alta (outubro a janeiro) e baixa (no verão do hemisfério norte), dizendo que o país está a "combater a sazonalidade".

Nos últimos anos, novas nacionalidades têm entrado "com mais força" no país, que também está a "sondar" operadores suíços, adiantou.

Os números hoje revelados à Lusa superam os de anos anteriores.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), Cabo Verde recebeu perto de 706 mil turistas em 2022, sensivelmente o triplo do ano anterior, recuperando da profunda crise provocada pela pandemia da covid-19.

Em 2019, antes de a infeção respiratória tomar conta do mundo, o país estava no patamar dos 800 mil turistas por ano.

O presidente da Câmara de Turismo de Cabo Verde, Jorge Spencer Lima, disse à Lusa, há duas semanas, que falta capacidade de alojamento no arquipélago, insuficiência que também preocupa o ministro do setor, sobretudo na época alta.

"É matéria que também nos preocupa", porque é preciso "crescimento da capacidade instalada e acompanhar a procura", referiu.

Cabo Verde tem cerca de 28 mil camas, metade na ilha do Sal, o destino de sol e praia que acolhe a larga maioria dos visitantes do arquipélago, mas há outros projetos em curso e em preparação para aumentar a capacidade de alojamento, acrescentou.

Estão também a decorrer investimentos no quadro do Programa Operacional do Turismo (POT), para que outras cidades e aldeias possam receber turistas, indicou Carlos Santos.

Na semana passada, o país lançou uma nova imagem turística comercial, em que "a sustentabilidade é um elemento-chave" para os próximos anos, perspetivou, esperando, igualmente, uma "interligação" com outros setores, como os transportes, agricultura, pescas.

A nível internacional, o ministro referiu à Lusa que o objetivo é "consolidar" os mercados europeus, responsáveis por mais de 90% dos turistas que viajam para o arquipélago, mas também captar visitantes de países africanos e americanos, tais como, Brasil e Estados Unidos.

O turismo, setor responsável por cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde, centra-se nas ilhas do Sal e da Boavista, onde os visitantes passaram 95% das noites em 2023.

Cabo Verde é o destino internacional convidado da 34.ª edição" da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre de quarta-feira a domingo, uma "oportunidade singular" de promoção do país, frisou o ministro.

Carlos Santos revelou que Cabo Verde vai levar uma delegação composta por operadores turísticos e hoteleiros, agentes culturais e convidou a comunidade residente em Lisboa.

*** Ricardino Pedro, da agência Lusa ***

RIPE // MLL

Lusa/Fim