Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 0,35%, para os 30.076,68 pontos, o alargado S&P500 perdeu 0,84%, para as 3.757,99 unidades, e o tecnológico Nasdaq retrocedeu 1,37%, para as 11.066,81.

As ações não resistiram em particular às medidas de endurecimento da política monetária tomadas por vários bancos centrais.

A Reserva Federal (Fed) dos EUA elevou na quarta-feira a sua taxa de juro de referência em 0,75 pontos percentuais e assinalou que vão haver mais subidas.

E hoje foram vários os bancos centrais que fizeram o mesmo, como o Banco de Inglaterra, que subiu a sua taxa de juro em meio ponto percentual, tanto quanto o Banco Nacional Suíço, com este a ser o último banco central europeu a deixar de ter taxas de juro negativas.

Já o Banco do Japão manteve inalterada a sua política monetária.

Na opinião de Barry Bannister, o principal estratega de investimento na Stifel, a última onda de vendas reflete a preocupação entre os investidores com a possibilidade de a Fed poder tornar-se ainda mais agressiva.

Este cenário, contudo, será improvável se os preços estabilizarem e caírem, mas isto pode requerer mais de um ano, avisou.

"A questão é a de saber qual é o nível de paciência, tanto da Fed, como dos investidores", disse.

RN // CC

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.