De acordo com o índice de preços do comércio externo, no ano passado a taxa de variação homóloga dos preços dos produtos exportados fixou-se em 6,9%, valor superior em 9,3 pontos percentuais face ao registado no ano anterior.

Ainda no mesmo ano em análise, a taxa de variação homóloga registada pelo Índice de Termos de Troca foi de menos 10,9%, valor inferior em 9,5 pontos percentuais face ao registado no ano anterior.

A nível mensal, o INE concluiu que os preços dos produtos importados por Cabo Verde diminuíram 2% em dezembro de 2022, valor superior em 0,9 pontos percentuais face ao registado no mês anterior.

Por sua vez, os índices subjacente e volátil na importação registaram acréscimos de 2,1% e de 1,7%, respetivamente, face ao registado em novembro.

Comparativamente ao mês de dezembro 2021, os índices subjacente e volátil na importação registaram acréscimos de 19,8% e 22,1%, respetivamente, prosseguiu o instituto cabo-verdiano.

Em 2022, o INE concluiu que ouve aumento dos preços nos bens de consumo (0,4%) e em outros bens de consumo semiduradouros (12,6%).

"Esse aumento foi atenuado com a diminuição dos preços de 'produtos alimentares transformados' (-2,2%)", esclareceu a mesma fonte, justificando o aumento na categoria "bens intermédios" (6,4%) com subidas nos "produtos transformados para a construção" (11,0%) e de "outros produtos transformados" (20,3%).

"Esse aumento foi atenuado com a diminuição dos preços de "produtos transformados para indústrias várias" (-2,8%)", acrescentou, dizendo que a diminuição dos preços na categoria "bens de capital" (-3,8%), deve-se à descida de preços de "máquinas" (-4,6%).

"O aumento dos preços na categoria 'combustíveis' (2,5%), prende-se com a subida da única subcategoria, denominada 'combustíveis' (2,5%)", ainda de acordo com o INE de Cabo Verde, que registou aumentos mais expressivos de preços nos produtos minerais (2,5%), plástico e suas obras, borrachas e suas obras (28,7%) e metais comuns e suas obras (24,5%).

As diminuições de preços de maior relevância "observaram-se nos produtos das indústrias alimentares, bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres, tabaco e seus sucedâneos manufaturados (-1,9%), máquinas e aparelhos, material elétrico, e suas partes, aparelhos (-3,4%) e material de transporte (-2,4%)", concluiu, notando que essas diminuições contribuíram para atenuar a evolução positiva do Índice Global da importação.

Ainda a nível mensal e relativamente ao índice de preços de exportação, em dezembro aumentaram 2,9% face ao mês anterior, enquanto os índices subjacente e volátil registaram acréscimos de 3,9% e de 0,2%, respetivamente, face ao registado no mês anterior.

RIPE // LFS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.