Bolsas europeias acentuam descidas seguindo rumo de Wall Street

As principais bolsas europeias acentuaram hoje as descidas nas últimas horas da sessão, seguindo o rumo da bolsa nova-iorquina, que abriu no 'vermelho', penalizada pelo receio de um agravamento da tensão comercial entre China e Estados Unidos.

Às 15:15 (hora de Lisboa), a bolsa de Milão registava a maior descida, 3,04%, enquanto Frankfurt perdia 2,91% e Paris 2,82%. Londres descia 2,68% e Madrid seguia com uma desvalorização de 2,36%.

O PSI20, principal índice da bolsa de Lisboa, registava uma descida de 1,83%.

Os analistas atribuem este retrocesso aos receios de que a trégua comercial de 90 dias entre Estados Unidos e China não leve a nenhum acordo e à preocupação com a desaceleração da economia global.

A detenção na terça-feira, no Canadá, da diretora financeira da empresa chinesa de tecnologia Huawei, Meng Wanzhou, que pode ser extraditada para os Estados Unidos por violação das sanções impostas pelo Governo norte-americano ao Irão, foi vista pelos analistas como mais um obstáculo na via para um acordo comercial.

Nos Estados Unidos, foi anunciado que o défice comercial norte-americano aumentou em outubro e atingiu um nível inédito em dez anos com importações recorde e uma descida das exportações.

O preço do petróleo Brent também segue em baixa no mercado de Londres, numa altura em que os investidores aguardam o fim de uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) que decorre em Viena.

Durante a manhã, o preço do barril de Brent desceu no mercado de Londres para menos de 60 dólares (58,62 dólares às 10:35), mas depois recuperou ligeiramente.

EO // JNM

Lusa/fim

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.