"Esta é uma proposta simples, sensata, exequível, que consegue fazer uma coisa que mais ninguém propõe neste país: que haja uma transferência direta entre os lucros astronómicos da banca e a redução da prestação do crédito à habitação", disse hoje a coordenadora nacional do BE, na apresentação da proposta na sede do partido, em Lisboa.

Segundo Mariana Mortágua, a Caixa Geral de Depósitos "pode reduzir imediatamente as prestações e a taxa de juro aplicada ao crédito à habitação para compra de habitação própria e permanente, até três pontos percentuais das taxas que estão a ser praticadas neste momento".

"Pode fazê-lo e, ainda assim, continuar a ter lucros positivos, respeitando os seus rácios de capital. Pode fazê-lo e com isso pode arrastar todo o mercado privado, contribuindo para uma redução das taxas de juro e um alívio no orçamento de quem tem crédito à habitação, que pode ir entre 100 e 200 euros, tendo em conta a prestação de cada família, o valor em dívida e o prazo", defendeu a líder bloquista.

JH // SF

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.