A 135.ª edição do terceiro torneio do Grand Slam da temporada arrancou hoje na relva do All England Club, onde a chuva interrompeu os primeiros encontros da jornada e Djokovic, número três do mundo e primeiro cabeça de série, abriu a jornada no 'court' central.

O tenista de Belgrado, de 35 anos, cedeu um 'set' diante o adversário sul-coreano, 81.º colocado na hierarquia mundial, mas reagiu bem e conseguiu o apuramento para a fase seguinte da prova em quatro partidas, pelos parciais de 6-3, 3-6, 6-3 e 6-4, em duas horas e 27 minutos.

"Já disse isto antes, mas este 'court' é realmente especial. Foi onde sempre sonhei jogar, vencer, e todos os meus sonhos de infância tornaram-se realidade aqui. Por isso, é uma honra e um prazer estar de volta ao 'Centre Court'", afirmou o seis vezes campeão de Wimbledon, de regresso à competição, após a derrota nos quartos de final em Roland Garros.

Graças à exibição de hoje, o sérvio somou o 22.º triunfo consecutivo no 'major' londrino e tornou-se no primeiro jogador a registar pelo menos 80 vitórias em cada torneio do Grand Slam, depois dos 82 triunfos no Open da Austrália, 85 em Roland Garros e 81 no Open das Estados Unidos.

Tal como Djokovic, que procura o quarto troféu consecutivo no All England Club e vai jogar agora com o australiano Thanasi Kokkinakis (79.º ATP), a estreia do jovem espanhol Carlos Alcaraz, de 19 anos, também não foi a mais fácil, tendo em conta que precisou de cinco parciais para superar o alemão Jan-Lennard Struff, por 4-6, 7-5, 4-6, 7-6 (7-3) e 6-4, ao cabo de quatro horas e 11 minutos.

"Gostei muito do encontro. Foi uma grande batalha ao longo de quatro horas. Para mim, jogar na relva é tão bonito, gosto de jogar nesta superfície, mas o meu nível tem de melhorar um pouco. Mas estou contente com o meu nível hoje", comentou o número sete mundial, que assegurou, pela segunda vez, a passagem à segunda ronda do 'major' britânico.

Uma das maiores surpresas da jornada de abertura foi a eliminação do polaco Hubert Hurkacz, número 10 do mundo, que perdeu diante o espanhol Alejandro Davidovich-Fokina (37.º ATP) em cinco 'sets', com os parciais de 7-6 (7-4), 6-4, 5-7, 2-6 e 7-6 (10-8), ao fim de três horas e 28 minutos.

O norueguês Casper Ruud, vice-campeão do torneio francês do Grand Slam e terceiro pré-designado, também pisou com o pé direito a relva inglesa, ao afastar o espanhol Albert Ramos-Viñolas, por 7-6 (7-1), 7-6 (11-9) e 6-2, assim como o italiano Jannik Sinner, 10.º cabeça de série, derrotou o suíço Stan Wawrinka, mas em quatro partidas, com os parciais de 7-5, 4-6, 6-3 e 6-2.

Já depois da desistência do espanhol Pablo Carreño-Busta, 16.º pré-designado, com uma lesão no gémeo, quando o marcador registava 6-3 e 4-6 frente ao sérvio Dusan Lajovic, abdicando assim de tentar a primeira vitória em sete participações, foi a vez do bicampeão escocês de Wimbledon (2013 e 2016), Andy Murray, fechar a sessão no 'court' central com um triunfo ante o australiano James Duckworth, por 4-6, 6-3, 6-2 e 6-4.

Na competição feminina, a jovem britânica Emma Raducanu, de 19 anos, que se sagrou campeã do Open dos Estados Unidos em 2021, confirmou o teórico favoritismo diante a belga Alison Van Uytvanck, por duplo 6-4, enquanto a tunisina Ons Jabeur, terceira cabeça de série, bateu a sueca Mirjam Bjorklund, a estrear-se no All England Club, por 6-1 e 6-3.

Anett Kontaveit, da Estónia, também confirmou o estatuto de segunda pré-designada frente à norte-americana Bernarda Pera, com os parciais de 7-5 e 6-1, e a alemã Angelique Kerber, campeã de Wimbledon em 2018 e semifinalista em 2021, ultrapassou a francesa Kristina Mladenovic, por 6-0 e 7-5.

SRYS // AJO

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.