"Não poderia ter tido uma preparação melhor. A experiência olímpica é única. É diferente de todos os outros torneios", observou Djokovic, em conferência de imprensa, reconhecendo que "existem expectativas muito altas" em relação ao seu desempenho na capital japonesa.

O sérvio lembrou que "já passou bastante tempo" desde que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, mas assinalou que o ano de 2021 está a correr muito bem, com vitórias nos três 'majors' já disputados: Open da Austrália, Roland Garros e Wimbledon.

Os triunfos nos torneios australiano, francês e inglês permitiram a Djokovic igualar o recorde de 20 títulos do 'Grand Slam' partilhado por Federer e Nadal, os dois maiores rivais ao longo da carreira, que não estarão presentes em Tóquio2020.

Djokovic, que prometeu "fazer uma grande atuação" em Tóquio, admitiu que vai estranhar a ausência do suíço e do espanhol no torneio de ténis dos Jogos Olímpicos, pois está "acostumado a ver, pelo menos, um deles", nas provas em que participa.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 vão ser disputados entre sexta-feira e 08 de agosto, após o adiamento em um ano devido à pandemia de covid-19.

RPC // RPC

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.