Segundo a agência noticiosa ucraniana UNIAN, esta medida foi tomada depois de alguns dos titulares destes passaportes se terem escudado em viagens oficiais para saírem do país, às vezes para simples atividades de lazer e recreio.

Um dos casos mais falados foi o de Nikolai Tischenko, membro do partido presidencial Servo do Povo, que se deslocou à República Checa para uma festa. A notícia circulou rapidamente e o parlamentar recebeu duras críticas.

RN // RBF

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.