"Esta conta foi permanentemente suspensa por violação das nossas regras", confirmou um porta-voz do Twitter à agência France Presse.

A conta @KhameneiSite publicou esta semana um vídeo animado simulando uma vingança contra Donald Trump, que há dois anos ordenou um ataque que matou o general Qassem Soleimani, então chefe da Força Qods, os Guardas da Revolução, responsável pelas operações externas do exército iraniano.

Esta não é a principal conta em inglês do ayatollah, que ainda está ativa, mas uma conta multimédia que retransmite as suas atividades.

No ano passado, uma conta semelhante foi suspensa pelo Twitter por causa de um vídeo semelhante.

A proteção das pessoas e do conteúdo das conversas na rede social é uma prioridade máxima para a empresa, que exclui os comportamentos abusivos nas suas normas de utilização.

Arquiteto da estratégia de influência regional do Irão, Soleimani foi morto em 3 de janeiro de 2020 em Bagdade por um ataque levado a cabo por um drone norte-americano, uma operação ordenada por Donald Trump.

O líder supremo iraniano tem prometido repetidamente vingar a sua morte.

No passado dia 3 de janeiro, no segundo aniversário do ataque, o Presidente iraniano, Ebrahim Raissi, também ameaçou os antigos líderes dos Estados Unidos, incluindo Donald Trump, de "vingança".

Os assessores do ex-presidente norte-americano denunciam com regularidade a suspensão permanente imposta pelo Twitter ao milionário republicano há um ano, observando em particular que vários líderes considerados pelos Estados Unidos como autocratas, incluindo Ali Khamenei, são autorizados a transmitir as suas mensagens através da rede social.

APL // MAG

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.