Em comunicados separados, Sands China, MGM China, Wynn, Galaxy, Melco e, na quarta-feira, a Sociedade de Jogos de Macau (SJM), indicaram que o objetivo desta doações é ajudar e apoiar os esforços de reconstrução das zonas afetadas pelas inundações.

Na quarta-feira, a SJM tinha anunciado, num comunicado publicado no 'site', uma doação no mesmo montante para Zhengzhou.

As seis operadoras lamentaram as vítimas registadas e disseram que as doações foram feitas em "coordenação com o Gabinete de Ligação do Governo Central" da China em Macau.

As inundações no centro da China fizeram pelo menos 33 mortos e oito desaparecidos, de acordo com os dados mais recentes difundidos pela televisão estatal chinesa CCTV.

As chuvas mais intensas dos últimos 60 anos na cidade de Zhengzhou deixaram parte do sistema de metropolitano submerso e transformaram estradas em canais, com rápido fluxo de água.

O último balanço para toda a província de Henan, da qual Zhengzhou é a capital, é de 33 mortos e oito desaparecidos, desde 16 de julho, de acordo com a CCTV, que cita os serviços de emergência locais.

O relatório anterior, publicado na quarta-feira, indicava 25 mortos e sete desaparecidos.

Cerca de 376 mil pessoas foram retiradas, enquanto mais de 200 mil hectares de plantações ficaram destruídas, resultando num dano estimado em 1,22 mil milhões de yuan (160 milhões de euros), avançou a CCTV.

EJ (JPI) // PJA

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.