"Se este Orçamento não passar, como pode acontecer, o PSD é apanhado em plenas diretas e completamente impossibilitado de disputar as eleições legislativas taco a taco", alertou Rio, em declarações aos jornalistas no parlamento.

A direção já tinha enviado hoje uma proposta de calendário eleitoral, mas "face a um facto político muito relevante", Rio considerou ser "do interesse do partido e do interesse nacional" fazer este apelo.

Questionado se a direção irá fazer uma proposta formal nesse sentido no Conselho Nacional que se reúne na quinta-feira à noite em Lisboa, Rio não respondeu diretamente.

"O que entendo que seria de bom tom era que este Conselho Nacional fizesse a análise das autárquicas, não marcaria diretas, e ficaria marcado um Conselho Nacional para depois da aprovação ou não do OE. Se o OE for aprovado, há condições para diretas, se não for não vejo como o partido pode fazer internas e legislativas ao mesmo tempo", disse.

À pergunta se se sente em condições de disputar legislativas antecipadas, Rio foi categórico.

"Claro, isso é evidente, sou o líder do partido, fui candidato a primeiro-ministro em 2019. Depois de sair das autárquicas, será ainda mais fácil", afirmou.

SMA //RBF

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.