"No final de outubro os pagamentos em atraso das entidades públicas ascenderam a 785,3 milhões de euros, o que representou um aumento de 108,9 milhões de euros relativamente ao período homólogo", pode ler-se na Síntese da Execução Orçamental, que foi hoje divulgada pela DGO.

No documento, pode ler-se que face ao mês anterior (setembro), os pagamentos em atraso também aumentaram, mas 84,6 milhões de euros.

Segundo a DGO, para a evolução dos números face ao mesmo período de 2020 "contribuíram, sobretudo, os Hospitais EPE [Entidade Pública Empresarial] que registaram um aumento de 153,6 milhões de euros".

Por outro lado, os pagamentos em atraso registaram uma diminuição "de 41,3 milhões de euros na Administração Regional e de 14 milhões de euros nas Empresas Públicas Reclassificadas".

"Para a variação mensal, o maior contributo registou-se nos Hospitais EPE com um aumento de 85,7 milhões de euros", refere a DGO.

No final de setembro, os pagamentos em atraso das entidades públicas tinham aumentado em 63,2 milhões de euros, face ao período homólogo, para 700,8 milhões de euros.

JE (DF) // EA

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.