A produção da CBS, que no mercado português será transmitida no STAR Channel, volta a juntar o ator com o realizador Ken Olin, com quem trabalhou em "This is Us" e agora realiza "Tracker".

"Queríamos fazer outra série. Estávamos à procura de alguma coisa boa para fazermos juntos e encontrámos este livro", disse Justin Hartley durante a digressão de inverno da Television Critics Association (TCA). A série baseia-se na obra "The Never Game", de Jeffery Deaver, publicada em 2019.

"Temos muita sorte. Creio que continuámos a cultura que encontrámos em 'This is Us' neste ambiente maravilhoso", considerou o ator.

Hartley, de 47 anos, interpreta Colter Shaw, um sobrevivencialista solitário que vagueia pelos Estados Unidos em busca de trabalhos com recompensas, como encontrar pessoas desaparecidas.

"O Justin queria andar com uma arma e meter-se em brigas", descreveu Ken Olin, também presente na conferência. "Eu queria encontrar algo que nos lembrasse as velhas séries de investigadores privados com que cresci".

Fiona Rene ("Reenie"), Abby McEnany ("Velma Bruin"), Eric Graise ("Bob Exley") e Mary McDonnell ("Mary Dove Shaw") compõem o núcleo central do elenco da série.

Hartley descreveu um tópico comum a "This is Us", apesar de serem histórias muito diferentes: a importância da família, para o bem e para o mal.

"Há um elemento em quase todos os trabalhos que ele aceita e a sua capacidade de encontrar estas pessoas e ter resultados positivos que vem da forma como foi criado, que não é necessariamente boa", explicou o ator.

"O pai dele era muito difícil, teve uma infância dura, única e estranha", continuou. "Mas todas as coisas por que passou quando era mais novo e as coisas que aprendeu são o que usa na sua vida agora".

O realizador Ken Olin descreveu o personagem Colter Shaw como alguém que cresceu com uma família fraturada cheia de segredos e desconfiança, um homem que não confia em intimidade nem em laços próximos.

O personagem é bastante aproximado ao que o autor Jeffery Deaver concebeu, mas os criadores da série deram-lhe um sentido de humor que não existe no livro. Segundo Olin, essa característica foi adicionada por causa do próprio Justin Hartley, que "é muito bom a fazer humor".

Apesar dos desafios de um papel de ação, bastante distinto do que passou vários anos a fazer em "This is Us", Justin Hartley disse que a carga de trabalho não o incomodou --- pelo contrário.

"Adoro isto. Sempre quis isto", afirmou. "Não é trabalho, é um produto de amor", continuou. "Quando se consegue a oportunidade de fazer algo que adoramos e passamos muito tempo a fazê-lo com pessoas de quem gostamos, é uma alegria".

Olin disse que Justin Hartley é um ator constantemente subestimado. "Penso que ele é incrivelmente talentoso e muitas vezes surpreende as pessoas com todas as suas habilidades", afirmou.

Hartley disse "não se importar" em ser subestimado e até preferir o elemento de surpresa positiva, por oposição a uma expectativa de perfeição que depois sai gorada.

A CBS está a apostar em força na nova série, tendo marcado a estreia nos Estados Unidos para hoje, logo a seguir à Super Bowl -- um dos eventos desportivos mais vistos do ano no país. A intenção é captar a audiência que passará a tarde colada aos ecrãs para ver o jogo entre os San Francisco 49ers e os Kansas City Chiefs.

ARYG // MAG

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.