Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o ICE "prolongou a tendência decrescente que vem registando desde o primeiro trimestre de 2021, facto que se deveu fundamentalmente à avaliação desfavorável da perspetiva de emprego".

Houve ainda uma queda relativamente à procura futura no mesmo trimestre.

Mesmo com este cenário, o perfil do ICE "apresenta-se ligeiramente acima do verificado no trimestre homólogo de 2020", nota o INE.

Apesar de não fazer referência à pandemia, o boletim diz respeito a um período em que a economia moçambicana ainda enfrenta restrições devido às medidas de prevenção da covid-19.

O país tem um total acumulado de 1.924 óbitos e 151.046 casos de covid-19, dos quais 98% recuperados e 12 internados.

O ICE faz parte do boletim de indicadores de Confiança e de Clima Económico uma publicação mensal sobre a conjuntura de Moçambique, compilada com base num inquérito realizado também todos os meses pelo INE às empresas do setor não financeiro.

"O estudo expressa a opinião de agentes económicos acerca da evolução e perspetiva da sua atividade, particularmente sobre emprego, procura, encomendas, preços, produção, vendas e limitações de atividade", explica a autoridade estatística moçambicana.

LFO // VM

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.