Realizada entre segunda-feira e quinta-feira na cidade francesa de Estrasburgo, esta sessão plenária da assembleia europeia conta, no primeiro dia, com uma cerimónia de homenagem a David Sassoli, que será presidida pela presidente em exercício da instituição e possível sucessora, a maltesa Roberta Metsola.

Estão previstos discursos do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do Presidente francês, Emmanuel Macron, em nome da presidência semestral rotativa do Conselho da União Europeia (UE), que serão seguidos por intervenções dos líderes dos grupos políticos.

Sassoli morreu na terça-feira, aos 65 anos, em Aviano (Itália), onde se encontrava hospitalizado desde 26 de dezembro, sendo o primeiro presidente do Parlamento Europeu a morrer em exercício de funções, nas quais estava prestes a ser substituído, no cumprimento de um acordo de partilha do mandato de cinco anos.

Nesta que é a primeira sessão plenária do ano, o Parlamento Europeu vai eleger, na terça-feira, o novo presidente da assembleia, o que já estava previsto a meio da atual legislatura e não relacionado com o estado de saúde de Sassoli.

A maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu, é a favorita para suceder ao dirigente socialista italiano, que assumiu o cargo no verão de 2019.

A eleição do presidente do Parlamento Europeu realiza-se por escrutínio secreto, sendo que, para ser eleito, um candidato deve obter a maioria absoluta dos votos expressos válidos, ou seja, 50% mais um.

Devido à pandemia, a votação será realizada por via remota, já que alguns eurodeputados não participam presencialmente na sessão.

Até ao momento, foram anunciadas as candidaturas da maltesa Roberta Metsola (Partido Popular Europeu), da sueca Alice Bah Kuhnke (Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia), do polaco Kosma Zlotowski (Grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus) e da espanhola Sira Rego (Grupo da Esquerda).

Os candidatos começarão por fazer uma breve apresentação e depois realiza-se a primeira volta do escrutínio, cujo resultado é anunciado pelas 11:00 (hora local, menos uma em Lisboa).

De seguida, os eurodeputados vão também eleger os 14 vice-presidentes e os cinco questores, que compõem a Mesa do Parlamento Europeu, escolha que determinará a composição deste órgão nos próximos dois anos e meio, ou seja, até 2024.

Todos os cargos eleitos do Parlamento Europeu (presidente, vice-presidente, questor, presidente e vice-presidente de comissão e presidente e vice-presidente de delegação) são renovados a cada dois anos e meio em dois anos e meio.

A agenda desta sessão plenária é ainda marcada por um debate sobre as prioridades da presidência francesa do Conselho da UE para este semestre, que se realiza na quarta-feira, e que contará com a presença do Presidente francês, Emmanuel Macron, e da líder da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

A França assume até final de junho a presidência rotativa do Conselho, um ano depois de Portugal, no primeiro semestre de 2021, e da Eslovénia, nos últimos seis meses.

O lema da presidência francesa do Conselho da UE é "Retoma, Pujança e Pertença", visando apoiar as transições ecológica e digital, defender e promover os valores e interesses da UE e desenvolver uma visão europeia comum.

ANE // PDF

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.