"O GAO elogia o Governo pela resposta política adequada à crise, incluindo progressos excecionais na campanha de vacinação. Os parceiros observaram com satisfação que 68% da população elegível está agora totalmente vacinada", considerou o grupo, em comunicado divulgado no final de uma missão de cinco dias a Cabo Verde.

Na comunicação, o grupo, constituído por Luxemburgo, Portugal, União Europeia, Grupo Banco Africano de Desenvolvimento e grupo Banco Mundial, salientou que o Governo implementou "com sucesso" o seu plano de vacinação através de políticas sanitárias eficazes, o que se traduziu em taxas de infeções e transmissão reduzidas.

Entretanto, notou que o impacto e a persistência da crise da covid-19 reverteram os recentes progressos sociais e económicos do país, apesar de medidas de mitigação.

"O PIB [Produto Interno Bruto] contraiu 14,8% em 2020 (15,7% em termos per capita) - a maior contração de sempre no país e a segunda maior da África subsaariana - com a paralisação do setor do turismo", constatou o GAO.

Os parceiros esperam que o progresso do programa de vacinação contra a covid-19 tenha um impacto positivo na recuperação do turismo, caso as condições globais melhorem no próximo ano.

"A médio prazo, o consumo privado e o investimento na economia digital, na economia azul e nas energias renováveis contribuirão para reduzir o hiato do produto e apoiar a recuperação económica", previram.

Os parceiros dizem continuar ainda preocupados com a forma como a pandemia tem afetado a taxa de emprego e atingido, desproporcionadamente, os jovens que não têm emprego e não estão no sistema de educação ou formação.

"Os parceiros estão também preocupados com o efeito das restrições orçamentais daí resultantes sobre o funcionamento das instituições técnicas e de formação profissional", salientaram, elogiando os progressos na agenda de reformas do setor.  

Ainda no setor da saúde, os parceiros de Cabo Verde congratularam-se com os esforços do Governo para assegurar financiamento no Orçamento do Estado para 2022, "demonstrando o seu empenho em investir na melhoria do sistema público de saúde".

Cabo Verde tem um total de 38.426 casos positivos acumulados de infeção pelo novo coronavírus desde março de 2020, dos quais há 37.963 recuperados da doença, 87 casos ativos e 351 óbitos, o mais recente registado hoje em Santa Catarina e Santiago.

A covid-19 provocou pelo menos 5.233.111 mortes em todo o mundo, entre mais de 263,61 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como "preocupante" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em 24 de novembro, foram notificadas infeções em cerca de 30 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

RIPE // LFS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.