Shinawatra, de 74 anos, esteve detido numa prisão e posteriormente num hospital policial, de onde poderá sair já no fim de semana, indicou Tawee Sodsong.

"Faz parte do grupo de presos [libertados] em estado crítico ou com mais de 70 anos", explicou.

Thaksin Shinawatra esteve no poder entre 2001 e 2006, até ao golpe de Estado do exército. Regressou à Tailândia em agosto passado, após um exílio autoimposto de 15 anos para escapar a condenações por corrupção e abuso de poder.

O multimilionário, que a família afirma ter uma saúde frágil a exigir um acompanhamento médico permanente, foi amnistiado parcialmente pelo rei, que reduziu a pena de prisão de oito para um ano.

"Cerca de 930 presos, incluindo ele, terão as penas suspensas (...) Ele será libertado automaticamente após seis meses" de prisão, acrescentou o ministro.

Depois de ter passado algumas horas na prisão no regresso a Banguecoque, ficou detido num hospital, onde foi submetido a pelo menos duas cirurgias.

Do estrangeiro, Thaksin Shinawatra continuou a exercer influência na vida política tailandesa, através da família e do partido, agora chamado Pheu Thai, que recuperou o poder em agosto passado.

Shinawatra está ainda acusado de um crime de lesa-majestade por comentários feitos em 2015, mas os tribunais tailandeses ainda não decidiram que medidas tomar neste caso.

CAD // EJ

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.