"Juntamo-nos às autoridades libanesas no seu apelo à calma, nos seus apelos a um desanuviamento das tensões", declarou aos 'media' Ned Price, porta-voz da diplomacia norte-americana.

"Opomo-nos a qualquer intimidação e ameaça de violência contra a justiça de qualquer país, e apoiamos a independência da justiça no Líbano", acrescentou, dirigindo-se designadamente ao movimento xiita libanês Hezbollah que organizou esta manifestação.

No entanto, escusou-se a designar quem deverá ser responsabilizado pela violência.

"O futuro da democracia no Líbano depende da capacidade dos seus cidadãos em enfrentar os assuntos difíceis e demonstrarem confiança no Estado de Direito", considerou Ned Price.

Os disparos de origem desconhecida foram dirigidos esta manhã contra a manifestação organizada pelo Hezbollah contra o juiz responsável pelo inquérito sobre a explosão no porto, e que originou confrontos violentos com um balanço de seis mortos num setor transformado em zona de guerra.

Diversos veículos militares foram deslocados para o local, que foi isolado, enquanto prosseguiam as trocas de disparos com metralhadoras e lança-foguetes RPG, que se prolongaram por várias horas.

Estes confrontos ocorreram após semanas de fortes tensões relacionadas com a atuação do juiz Tareq Bitar, responsável pelo inquérito sobre a explosão no porto de Beirute em 04 de agosto de 2020, que provocou mais de 200 mortos. Um drama que já implicou a acusação de diversos responsáveis.

PCR // EL

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.