"As partes acordaram a realização de um fórum de negócios entre empresários dos dois países como plataforma para estreitar as relações empresariais", anunciou a CTA em comunicado.

A aproximação foi anunciada após um encontro entre Agostinho Vuma, presidente da confederação moçambicana, e Dorcas Bungei, responsável pela secção de negócios da embaixada do Quénia em Maputo.

"Embora Moçambique tenha instalado a sua embaixada no Quénia desde 1994, só em outubro de 2021 é que designou uma comissão instaladora", assinalou a CTA, que considera que as relações estão "no bom caminho".

Antes de adiantarem mais detalhes sobre o fórum, um novo encontro ficou agendado à margem da Conferência Anual do Setor Privado (CASP), a plataforma mais importante do chamado "diálogo público-privado" em Moçambique, a decorrer de 23 a 25 de março.

"Dorcas Bungei garantiu a mobilização de empresários quenianos para participarem na XVII CASP", concluiu a CTA.

O Quénia foi o 34.º destino de exportações moçambicanas em 2020, no valor de 6,6 milhões de euros e a 50.ª origem de importações, com um valor de 6,9 milhões de euros.

LFO // PJA

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.