De acordo com o documento, cerca de 1,4 milhões de euros estão integralmente dedicados, este ano, às revisões de meia vida dos veículos Eurotram (os primeiros a entrar ao serviço na rede), incluindo as "substitução de foles de articulação", e Tram Train (mais recentes), trabalhos que prosseguirão até 2025.

Relativamente às infiltrações, no total a empresa alocou 365 mil euros para trabalhos de reparação "em estações subterrâneas das linhas Amarela e tronco comum [de Campanhã à Trindade]", para os túneis e especificamente para "infiltrações e danos na estação de Campanhã".

Para a estação da Trindade, estão alocados 950 mil euros para a instalação de uma esquadra da PSP na estação e para o "tratamento definitivo do acesso ao cais 1".

Para este ano estão ainda previstos 600 mil euros para a "renovação integral de via no tronco comum", entre as estações do Estádio do Dragão (Porto) e Fonte do Cuco (Matosinhos) e 150 mil euros para a "renovação de acabamentos das áreas públicas das estações e edifícios" de várias estações da rede.

Há ainda 400 mil euros relacionados com a instalação de faixas táteis em todos os cais, dedicadas aos invisuais, resultantes de adaptações por alterações das normas em vigor, um investimento que tem mais 3,6 milhões de euros previstos até 2025.

De acordo com o plano de atividades para 2022, estão ainda previstos pequenos trabalhos de substituição de travessas de madeira na Ponte Luiz I, intervenções na estação Parque Maia, adjudicações para a instalação de coberturas nas estações Senhora da Hora e Brito Capelo (Matosinhos) e ainda adjudicações para remover passagens de nível, quer na estação Carolina Michaelis quer nas linhas Verde e Vermelha.

"São de destacar investimentos relacionados com a eliminação de passagens de nível entre 2022 e 2024 no montante global de 14,5 milhões de euros", pode ler-se no documento.

No calendário de atividades está ainda previsto que o primeiro novo veículo encomendado à chinesa CRRC, cuja construção já arrancou, seja entregue no quarto trimestre deste ano.

No dia 25 de setembro de 2020, o Governo autorizou a Metro do Porto a efetuar obras de "melhoramento" no valor superior a 11 milhões de euros, encargo dividido pela empresa de transportes e pelo Fundo Ambiental, segundo uma portaria publicada em Diário da República (DR).

A cobertura da estação da Senhora da Hora, em Matosinhos, ou o fecho do Poço das Camélias, na estação do Bolhão, são mencionadas na portaria, bem como a construção de uma esquadra para a PSP na estação da Trindade, projeto cujo objetivo é "criar um espaço dedicado à segurança nos transportes", explicou fonte da Metro do Porto.

JE (PFT) // LIL

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.