O resultado representa também uma redução do retorno sobre os capitais próprios de 14,7%, para 3,4%, acrescentou.

O banco justifica-se com "um contexto marcado pelo severo impacto da pandemia de covid-19 sobre a economia global".

Na atividade do último ano, o Absa Moçambique destaca o aumento dos empréstimos a clientes, com uma subida de 41%, "tendo sido um dos bancos que mais aumentaram o seu financiamento à economia", num ano "difícil".

O banco registou um custo com imparidade de crédito situado em 315 milhões de meticais (4,2 milhões de euros), representando 1,4% do total de crédito.

Noutros indicadores, os depósitos de clientes registaram um crescimento de 15,4% e o rácio de liquidez fixou-se em 42,3%, "quase o dobro do limite regulamentar", sublinhou o Absa. 

"Não obstante a redução acentuada dos lucros após impostos, o Absa Bank Moçambique continua com níveis de liquidez adequados, tendo o seu rácio regulamentar se situado, no final de 2020, muito acima dos níveis requeridos regulamentarmente e dentro do apetite de risco do banco", sublinhou.

O rácio de solvabilidade situou-se em 18,3%, acima do requisito regulamentar de 12%.

LFO // SB

Lusa/Fim

 

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.