Em entrevista à RTP3, transmitida na noite de quarta-feira, Pedro Nuno Santos afirmou que a comissão técnica independente vai poder "incluir, se o entender, outras localizações na avaliação ambiental estratégica", além das "que se conhecem".

De acordo com o governante, essa possibilidade "é conferida" à comissão técnica independente.

"O país já estudou 17 localizações ao longo de 50 décadas e vamos agora introduzir mais uma", realçou o ministro das Infraestruturas, lembrando que "todo o trabalho que foi feito antes ao longo dos últimos anos será também utilizado".

Estimando-se terem sido gastos cerca de 70 milhões de euros em estudos para a localização do novo aeroporto, Pedro Nuno Santos escusou-se a comentar o investimento que será feito para a nova análise, dizendo apenas que "serão dadas as condições necessárias para que a comissão técnica faça bem o seu trabalho".

A comissão técnica, segundo o ministro, vai ser liderada por um coordenador geral escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, mas sob a indicação do presidente do Conselho Superior de Obras Públicas, do presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas e do presidente do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento sustentável.

"Estas três personalidades vão sugerir um coordenador geral que depois vai constituir seis equipas que vão trabalhar em seis dossiers diferentes", acrescentou.

Na quinta-feira, o Conselho de Ministros vai aprovar o conjunto inicial de diplomas do processo para a decisão do novo aeroporto, incluindo uma proposta de lei para alterar o poder dos municípios sobre aeródromos de interesse nacional.

Há uma semana, Governo e PSD chegaram a acordo quanto à metodologia para avançar com a solução aeroportuária para a região de Lisboa, que passa por uma Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) com conclusões até final de 2023.

JML // CC

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.