Segundo uma nota do Departamento de Estado, Pyatt chega a Luanda na quarta-feira, depois de participar em Berlim na Conferência de Recuperação da Ucrânia (URC), para o terceiro Diálogo de Segurança Energética EUA-Angola (ESD), resultante da reunião do Presidente norte-americano, Joe Biden, com o Presidente angolano, João Lourenço, no ano passado.

O Diálogo de Segurança Energética entre os EUA e Angola centra-se no fornecimento seguro e estável de energia e no aprofundamento dos laços comerciais, e surge na sequência das visitas de secretário de Estado, Antony Blinken, do Secretário da Defesa, Lloyd Austin, da Administradora da USAID, Samantha Power, do Secretário de Estado Adjunto, Richard Verma, e da Presidente do EXIM, banco que apoia o financiamento de bens e serviços dos Estados Unidos, Reta Jo Lewis.

Em maio, o governo dos Estados Unidos assinou um acordo de investimento com o Estado angolano nos domínios das energias renováveis, no valor de 900 milhões de dólares.

As conversações, que envolvem o Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, Diamantino Pedro Azevedo, e o Ministro da Energia e Águas, João Batista Borges, vão incidir sobre a segurança energética de Angola, a transição energética e os objetivos de descarbonização, incluindo os minerais críticos, bem como o aumento do acesso à energia e a produção de eletricidade.

RCR // SB

Lusa/Fim