No entanto, a decisão de encerrar parcialmente o estádio fica suspensa durante dois anos, sendo aplicada em caso de reincidência de comportamento inadequado dos adeptos do Fenerbahçe, segundo a UEFA, que repreendeu também a conduta imprópria da equipa orientada pelo português Jorge Jesus.

O organismo máximo do futebol europeu tinha aberto uma investigação, conduzida por um inspetor do Comité de Ética e Disciplina, na sequência dos cânticos entoados pelos adeptos turcos, gritando o nome do presidente russo Vladimir Putin, após o Dínamo de Kiev marcar o primeiro golo, por Vitaliy Buyalskiy, no jogo da segunda mão da segunda pré-eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, a 27 de julho.

A Rússia invadiu a Ucrânia a 24 de fevereiro último e mantém partes do território ucraniano ocupadas.

Aparentemente em reação a esses cânticos, o técnico do Dínamo, o romeno Mircea Lucescu, recusou-se a participar na conferência de imprensa a seguir ao jogo, durante o qual o Fenerbahçe recebeu um total de seis cartões amarelos e o Dínamo sete.

JEC // NFO

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.