Em conferência de imprensa de antevisão do encontro de sexta-feira, da terceira eliminatória da prova, o técnico dos 'leões' desvendou que o avançado, que jogou pela última vez em 28 de agosto, "vai iniciar o jogo" e admitiu a felicidade da equipa por esse regresso, mas destacou, também, que terá de lutar para recuperar o seu lugar.

"A equipa não está dependente do Pedro Gonçalves. É mais forte com o 'Pote', que tem características únicas e vinha de um bom momento. E isso tem mais impacto, porque ele vinha a marcar muitos golos. Agora, a equipa do Sporting não está dependente do Pedro Gonçalves", vincou Rúben Amorim.

A título de exemplo, o técnico lembrou que o Sporting "tem ganho" sem o jogador, exceto na Liga dos Campeões, mas admitiu que não sabe "se ganharia aqueles jogos" com o avançado.

No entanto, assumiu que o regresso do melhor marcador da I Liga em 2020/21 "é uma boa notícia", também "pelo espírito que dá à equipa", pela "forma muito divertida com que se apresenta nos treinos" e ainda "pela qualidade que tem".

"Essas características são essenciais numa equipa e, obviamente, que sentimos a falta do Pedro Gonçalves. Agora, ele tem de lutar e ganhar o lugar dele. E estamos felizes. Somos claramente mais fortes com o Pedro Gonçalves", assumiu o treinador.

Por outro lado, e perspetivando a hipótese de utilizar Pedro Gonçalves em simultâneo com Pablo Sarabia, o treinador 'verde e branco' garantiu que os dois "são compatíveis", uma vez que "jogadores de qualidade são sempre compatíveis", mas voltou a lembrar que "não têm o lugar garantido" na equipa.

"Obviamente que são compatíveis, porque as características são diferentes. Ambos têm golo, qualidade, assistências, agora, têm de fazer por merecer o lugar no onze e o lugar não é garantido. Não tem de jogar o Sarabia e o Pedro Gonçalves, quem trabalhar mais, vai jogar", advertiu.

Antes de se debruçar sobre o regresso de Pedro Gonçalves à equipa, Rúben Amorim apontou o discurso ao desafio frente ao Belenenses, da terceira eliminatória da Taça de Portugal, uma competição que os 'leões' são "candidatos a vencer".

A mensagem passada aos jogadores durante esta semana foi de que, apesar de o jogo ser frente a uma "equipa de uma divisão inferior", o desfecho depende da forma como o Sporting "enfrentar o desafio" com o emblema do Campeonato de Portugal e que "isso vai ter um grande impacto no jogo".

"Depende mais de nós do que do adversário, sabendo que hoje em dia todas as equipas são bem orientadas. É um clube histórico, num estádio bom para jogar, uma viagem curta, portanto, isso também ajuda e nesse aspeto tivemos sorte. Temos tudo para fazer um bom jogo, mas temos de ganhar", lembrou.

O Sporting visita na sexta-feira o Belenenses, histórico clube de Lisboa que milita, atualmente, no quarto escalão do futebol português, após o diferendo entre o clube e a SAD, que disputa a I Liga, que levou à separação das duas instituições.

Rúben Amorim não poderá contar com o defesa central Neto, que "tem um desconforto" muscular, revelou o técnico, que adiantou também que outro central, Gonçalo Inácio, volta a estar em dúvida para o encontro, apesar de ter regressado aos treinos esta semana, uma vez que "sofreu um toque no pé" durante um treino.

O jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal tem início marcado para as 20:45 de sexta-feira, no Estádio do Restelo.

 

SYL // RPC

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.