Niyonsaba retirou 2,19 segundos à anterior melhor marca, que estava na posse da etíope Genzebe Dibaba, que em fevereiro de 2017 correu em 5.23,75 minutos.

A burundesa é uma antiga corredora de 800 metros, obrigada a apostar nas provas de meio-fundo por se recusar a passar por um tratamento médico para baixar a sua produção natural de testosterona.

Prata nos Jogos Olímpicos do Rio2016 nos 800 metros, reaparece agora em grande nível nas corridas de fundo, com este recorde e com o triunfo na passada semana nos 5.000 metros da final da Liga Diamante, em Zurique.

FB // PFO

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.