O balanço foi hoje feito numa conferência de imprensa na sede da ANEPC, em Carnaxide, Oeiras, pelo segundo comandante da ANEPC Miguel Cruz.

Ao todo, a essa hora, os combates aos incêndios envolviam 1.627 operacionais, 535 meios terrestres e 15 meios aéreos.

Segundo o responsável, no incêndio da Serra da Estrela não há evolução em relação a operacionais no combate ao fogo, 1.210, com 18 grupos de reforço.

Também se mantém o mesmo número de feridos ou pessoas retiradas das suas casas, 21 feridos ligeiros e três feridos graves de um total de 46 pessoas assistidas, e 43 retiradas de casa (a maioria já regressou).

O trabalho em curso, disse, é de "consolidação do perímetro do incêndio", conjugando-se meios terrestres e água nas frentes da Guarda e da Covilhã.

Na manhã de hoje, a ANEPC anunciou que 90% do perímetro do incêndio estava dominado, a mesma percentagem esta tarde, disse Miguel Cruz.

FP // NS

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.