"Nos últimos dois anos, conseguimos criar maior estabilidade política no nosso país, reafirmar o nosso papel no continente africano e retomar o nosso lugar no concerto das nações", afirmou Umaro Sissoco Embaló.

"Contudo, o contexto internacional não favorece o cabal desempenho do nosso plano de desenvolvimento, sobretudo no que concerne à realização dos objetivos do desenvolvimento sustentável", salientou.

O Presidente guineense discursava na 77.ª sessão da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas, que decorre em Nova Iorque.

"Nós, em África, estamos também a sentir as consequências da guerra na Ucrânia que, infelizmente, está a ter um grande impacto, em particular, no setor da energia e da agricultura", declarou.

Segundo Umaro Sisssoco Embaló, a inflação e o aumento dos preços dos cereais e outros produtos alimentares "agravou consideravelmente a situação alimentar já bastante difícil".

O chefe de Estado destacou também que "apesar dos meios limitados", a Guiné-Bissau "não poupará esforços para contribuir para a manutenção da paz, estabilidade e proteção do planeta".

"Estamos determinados em continuar a participar ativamente na consolidação do multilateralismo e na promoção do diálogo e da cooperação entre os países e povos do mundo", frisou.

 

MSE // LFS

Lusa/Fim

 

 

 

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.