O incidente ocorreu na cidade de Xiaogan, na província central de Hubei, detalhou a Xinhua.

O alegado agressor, que foi detido pela polícia, é um homem de 53 anos de idade, de apelido Lu, que sofre de doença mental, acrescentou a mesma fonte.

Os motivos ou as circunstâncias do incidente não são ainda conhecidos.

A vida da pessoa ferida não corre perigo, detalhou a agência.

Dois casos semelhantes ocorreram no centro da China na segunda-feira.

Pelo menos três pessoas foram mortas e duas ficaram feridas após um ataque com faca num parque na cidade de Chenzhou, enquanto outras duas foram mortas e quatro ficaram feridas após uma mulher as ter atacado da mesma forma, numa escola primária, na cidade de Guixi.

Em 07 de maio, várias pessoas morreram depois de um homem ter atacado pessoas com uma faca num hospital da província de Yunnan, no sul do país.

Em abril passado, um homem também esfaqueou transeuntes numa rua da cidade central de Chengdu, matando uma pessoa e ferindo outra.

Embora a China seja geralmente um país seguro, os ataques em locais públicos - como escolas - são relativamente comuns. A lei chinesa proíbe rigorosamente a venda e posse de armas de fogo, pelo que os ataques são geralmente feitos com facas, explosivos de fabrico artesanal ou por atropelamento.

Nas redes sociais do país asiático, os internautas têm manifestado preocupação com o número crescente de crimes deste tipo.

A imprensa chinesa refere-se frequentemente a estes incidentes como "atos de vingança contra a sociedade".

JPI // SB

Lusa/Fim