José Manuel Silva, que derrotou o presidente cessante, Manuel Machado (PS), salientou hoje, no discurso de vitória, que vai iniciar "um novo ciclo que irá ser sentido por todos os munícipes" de Coimbra.

"Vamos trabalhar unidos e em conjunto, com uma lealdade crítica para que todos nos possamos melhorar, com as nossas sugestões, com as nossas críticas, que serão sempre bem vindas, governando uma Câmara de portas abertas e janelas arejadas, de forma transparente e para as pessoas", frisou o cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança, que incluiu ainda membros do Somos Coimbra, movimento independente pelo qual José Manuel Silva foi eleito vereador na oposição em 2017.

Recebido com um forte aplauso e com gritos de "vitória" na sala de uma unidade hoteleira de Coimbra, José Manuel Silva discursou depois das 01:00, quando era já tida como certa, pela candidatura, a maioria absoluta para a coligação que liderava.

Para o presidente eleito, o resultado alcançado representa uma manifestação de vontade do concelho "de mudança".

"A vitória não é nossa, é de Coimbra. Coimbra vai recolocar-se no patamar que merece e onde já esteve e onde tem todas as condições para voltar a estar", frisou.

Durante o discurso, no qual repetiu muitas das ideias que abordou em campanha, José Manuel Silva deixou também uma palavra para os trabalhadores do município.

"Foi graças a eles que também fomos eleitos -- não tenhamos dúvidas nenhumas. Quero repetir as palavras de liberdade, de confiança, de esperança, de motivação, de trabalho em conjunto, de uma verdadeira liderança que a todos una, para tornar a Câmara de Coimbra e todos os seus serviços naquilo que os cidadãos desejam e anseiam, para também podermos ser, nesse nível, um exemplo para o país", asseverou.

José Manuel Silva, que durante a campanha muito falou da necessidade de atração de investimento para o município, dirigiu-se também aos empresários a quem disse poderem agora "voltar a olhar para Coimbra como um concelho onde vale a pena investir".

O presidente eleito salientou que foi "muito importante eleger seis vereadores", de um total de 11, mas destacou que pretende trabalhar "com outras forças políticas", sem "quaisquer discriminações".

"Temos a noção da responsabilidade que é depositada em nós. A votação que obtivemos no concelho de Coimbra não é uma vitória de festa, é uma vitória de responsabilidade, de trabalho, de dedicação, de mostrarmos nos próximos quatro anos que merecemos a confiança da população de Coimbra", disse.

Os candidatos à Câmara de Coimbra foram o atual presidente do município, Manuel Machado (PS), José Manuel Silva (coligação Juntos Somos Coimbra -- PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança), Francisco Queirós (CDU), Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Miguel Ângelo Marques (Chega), Filipe Reis (PAN), Inês Tafula (coligação Coimbra é Capital - PDR/MPT) e Tiago Meireles Ribeiro (Iniciativa Liberal).

JGA // SSS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.