O executivo de Mario Draghi confirmou que a chegada da mulher afegã, atualmente com 49 anos, aconteceu na sequência de várias petições da sociedade civil, nomeadamente de organizações não-governamentais (ONG) ativas no Afeganistão.

Como muitos dos seus compatriotas, Sharbat Gula pediu a organizações humanitárias para a ajudarem a deixar o país depois de os talibãs terem assumido o controlo do Afeganistão, em agosto passado, aproveitando a saída das forças norte-americanas e internacionais do território afegão.

O Governo italiano "promoveu e organizou" a ida da mulher afegã para Itália no âmbito do seu programa de retirada de afegãos do país, que pretende garantir "acolhimento e integração", explicou o executivo.

Quando tinha 13 anos, Sharbat Gula surpreendeu e comoveu o mundo com a força do seu rosto e o poder dos seus intensos olhos verdes, graças a uma fotografia tirada pelo fotógrafo norte-americano Steve McCurry num campo do Paquistão, com a qual ilustrou uma reportagem sobre refugiados afegãos em junho de 1985.

A imagem tornou-se rapidamente um símbolo do drama e das vicissitudes dos afegãos, que, naquela altura, se encontravam em plena guerra, depois da invasão da então União Soviética.

PMC // SCA

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.