"O Governo indiano congratula-se pela libertação de oito cidadãos indianos, funcionários da sociedade Dahra Global e detidos no Qatar", declarou o Ministério dos Negócios Estrangeiros, em comunicado.

"Sete regressaram à Índia", acrescentou na mesma nota, em que agradeceu ao emir do Qatar, xeque Tamim ben Hamad al-Thani, pela decisão que "permitiu a libertação e o regresso" dos detidos.

Nova Deli nunca avançou pormenores sobre os oito cidadãos indianos, nem sobre os alegados crimes, e o Qatar não fez qualquer comentário sobre o caso, nem divulgou as acusações.

Mas os meios de comunicação social indianos noticiaram que os homens, entre os quais se contavam antigos oficiais de alta patente da marinha, incluindo comandantes de navios de guerra, foram detidos em Doha, em agosto de 2022.

Em outubro, as autoridades indianas declararam-se "chocadas com a condenação à morte" dos homens por um tribunal do Qatar. Em dezembro, a Índia anunciou que "a redução" das penas, sem avançar qualquer pormenor.

Os oito homens eram funcionários da empresa Dahra, que propõe "soluções completas de apoio" aos setores da indústria aeroespacial, da segurança e da defesa, de acordo com o site da companhia.

O jornal The Hindu noticiou que os homens eram espiões a soldo de um "país terceiro", enquanto o diário Times of India afirmou que "eram acusados de espionagem a favor de Israel, de acordo com várias fontes".

EJ // VQ

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.