Na Corte Suprema de Vermont, desde 2011, Beth Robinson havia desempenhado um papel fundamental da preparação do processo para a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O Tribunal de Apelações do 2.º Circuito inclui os territórios de Connecticut, Nova Iorque e Vermont.

Em 1999, antes de ser nomeada para a Corte Suprema de Vermont, Robinson ajudou a argumentar a lei da união civil daquele estado norte-americano, em que reconheceu, pela primeira vez, legalmente o casamento homossexual no país.

Beth Robinson atuou como conselheira do governador do Vermont, o democrata Peter Shumlin, entre 2010 e 2011.

De 1993 a 2010, a juíza foi advogada estagiária no escritório Langrock Sperry & Wool, onde se centrou no direito do trabalho, compensação de trabalhadores, disputas contratuais e lei de família.

Anteriormente, Beth Robinson trabalhou no escritório de advocacia Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom, em Washington, Distrito de Colúmbia (D.C.), focando-se na defesa de crimes de colarinho branco, tendo sido ainda assistente jurídica do juiz David Sentelle no Tribunal de Apelações dos EUA em D.C., de 1989 a 1990.

A Casa Branca também anunciou que Joe Biden vai nomear a advogada de direito do trabalho Charlotte Sweeney para o Tribunal Distrital dos EUA no Colorado.

Charlotte Sweeney, a verificar-se a nomeação, tornar-se-ia na primeira mulher homossexual a servir como juíza um tribunal distrital federal em qualquer estado a oeste do Mississípi.

Até ao momento, Joe Biden já nomeou 35 juízes federais.

JML//RBF

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.