"Fica interdita a circulação nas estradas, estacionamento nas bermas das estradas e parqueamento nas zonas de proteção de veículos de transporte de toros de madeira anormais, no período noturno, das 18:00 às 05:00", refere-se na nota.

A Administração Nacional de Estradas refere que a medida visa reforçar a segurança nas estradas moçambicanas, numa altura em que a sinistralidade rodoviária é uma das principais preocupações das autoridades.

"Verifica-se a continuada violação das obrigações fixadas por lei no transporte rodoviário de carga e uso das estradas", refere-se na nota da ANE.

Em média, segundo dados oficiais, o país regista, pelo menos, mil mortes por acidentes de viação anualmente. O ano de 2020 foi uma exceção, tendo em conta que foram registados 855 óbitos, uma descida associada à reduzida mobilidade devido às restrições impostas pela covid-19.

Apesar da redução de fatalidades de 2020, este ano ficou marcado com a pior tragédia de sempre, quando 32 pessoas morreram e outras 28 ficaram feridas num acidente que envolveu dois camiões e um autocarro, em 03 de julho, na Manhiça.

Após a tragédia, o Governo moçambicano decretou três dias de luto e anunciou a realização de um inquérito ao acidente, além de ter reforçado a fiscalização para transportadores interprovinciais.

Apesar das medidas, o país continuou a registar acidentes envolvendo transportadores de passageiros, com destaque para o sinistro ocorrido no início deste mês também na Manhiça, quando um jipe chocou de frente com uma viatura ligeira de transporte coletivo, tendo resultado na morte de 18 pessoas.

EYAC // VM

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.