Na comparação com janeiro, a produção do oitavo maior produtor mundial de petróleo bruto caiu 2%, segundo dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, ligada ao Ministério das Minas e Energia.

Já a produção de gás natural em fevereiro foi de 148,63 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de 1,4% em relação a fevereiro de 2023.

Os campos marítimos do horizonte petrolífero do pré-sal, que estão localizados nas águas profundas do Oceano Atlântico, voltaram a ser os principais produtores de hidrocarbonetos do país, respondendo por 76,1% de toda a produção brasileira.

As enormes reservas do pré-sal, de acordo com as previsões do Governo, poderão fazer do Brasil um dos cinco maiores produtores mundiais de hidrocarbonetos até ao final da década.

Ainda assim, fevereiro foi o terceiro mês consecutivo de redução da produção brasileira de petróleo e gás, depois de ter atingido o recorde de 4,7 milhões de barris por dia em novembro de 2023.

A estatal Petrobras confirmou-se como a maior operadora, com 88,69% de todo o petróleo e gás natural extraídos pelo Brasil em fevereiro.

Os dados confirmam o Brasil como o oitavo maior produtor de petróleo do mundo, à frente de grandes países produtores de petróleo como Emirados Árabes Unidos (3,4 milhões) e Kuwait (2,7 milhões), mas muito atrás de potências como Estados Unidos (12,9 milhões), Rússia (10,1 milhões) e Arábia Saudita (9,7 milhões).

MIM // RBF

Lusa/Fim