Antigo chefe da Autoridade Judiciária iraniana, Raissi, 60 anos, tomou posse para um mandato de quatro anos, após a eleição ter sido aprovada pelo líder supremo, 'ayatollah' Ali Khamenei.

"Vamos certamente procurar levantar as sanções opressivas mas não vamos submeter a vida da nação à vontade dos estrangeiros", disse Raissi na cerimónia oficial de tomada de posse e que foi transmitida pela televisão. 

Vencedor das eleições presidenciais do passado mês de junho, marcadas por uma elevada abstenção, Raissi sucede ao moderado Hassan Rohani que concluiu em 2015 um acordo internacional sobre a energia nuclear iraniana.

Em 2018 os Estados Unidos abandonaram unilateralmente o tratado e voltaram a estabelecer novas sanções, o que afetou a situação económica e social do país.

"Acreditamos que a situação económica não é favorável para o povo, tanto pela posição dos inimigos como pelas carências e problemas internos do país", disse Raissi.

"As carências e os problemas são numerosos", disse o 'ayatollah' Khamenei na mesma cerimónia que decorreu de forma restrita devido às medidas contra a propagação do novo coronavírus.  

"Mesmo assim, resolver os problemas económicos demora tempo", acrescentou Khamenei apelando ao novo Presidente e ao Parlamento para a formação de um novo governo o mais rápido possível. 

Na quinta-feira, Raissi vai estar presente no Parlamento de Teerão e deve apresentar nessa altura a constituição do Executivo. 

 

PSP // ANP

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.