De acordo com o relatório e contas de 2020 daquela empresa pública, a que a Lusa teve hoje acesso, a INCV iniciou em 2019 o "ciclo de crescimento e de resultados positivos", apesar de os impactos económicos da pandemia de covid-19 terem condicionado o avanço de alguns investimentos.

"Com especial enfoque para o início da construção da gráfica de segurança e da reestruturação do Boletim Oficial", lê-se no documento.

Com 178 anos, a Imprensa Nacional de Cabo Verde é uma das mais antigas empresas do arquipélago e já em 2019 tinha visto os lucros crescerem 138% face ao ano anterior, para 41,5 milhões de escudos (377 mil euros).

Com um volume de negócios de 171,9 milhões de escudos (1,5 milhão de euros) em 2020 (+18,6% face a 2019), a INCV produziu 142 edições da primeira série do Boletim Oficial e 180 da segunda série, além de 37 suplementos, totalizando 4.286 páginas.

Além da produção e distribuição gratuita do Boletim Oficial, a empresa assegura a produção de livros, cartões, bilhete de identidade e revistas, através da unidade gráfica, empregando 60 trabalhadores.

A Lusa noticiou anteriormente que a produção do Boletim Oficial do Estado cabo-verdiano, distribuído de forma gratuita através da Internet, foi feita em teletrabalho de março a maio de 2020, devido à covid-19 e ao encerramento das instalações da Imprensa Nacional.

"A empresa esteve encerrada de 26 de março a 20 de maio, tendo durante este período funcionado apenas o Boletim Oficial, enquanto serviço essencial ao país, em regime de teletrabalho", reconheceu a administração.

Acrescentava então que na revisão do plano de atividades para 2020 o maior impacto da pandemia "foi a nível de investimentos", nomeadamente no objetivo de implementação da Gráfica de Segurança da INCV, que permitirá alargar a atividade, que atualmente se centra em "veicular os atos normativos" do Estado, à emissão de documentos de segurança.

Do investimento inicial de 433,6 milhões de escudos (3,9 milhões de euros) para instalar a futura gráfica de segurança, o corte imposto pelas quebras para 2020 na atividade da empresa passou para 45,5 milhões de escudos (413 mil euros), equivalente a 10,5% do valor inicial.

PVJ // JH

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.