O acordo de princípio para vinda dos navios "Liberdade" e "Creola" foi alcançado no final de uma visita de trabalho de quatro dias do ministro do Mar cabo-verdiano, Paulo Lima Veiga.

O ministro dos Transportes da Guiné-Bissau sublinhou, no entanto, que a disponibilização dos navios da empresa pública cabo-verdiana depende da avaliação que deve ser feita às rampas de atracagem nos portos de Bissau e das ilhas Bijagós.

"A entrega dos navios é para curto prazo, mas neste momento estamos a avaliar as infraestruturas, nomeadamente as rampas e os cais, porque são navios com características para transportar pessoas e as viaturas", explicou Augusto Gomes.

As duas partes querem que os dois navios comecem a operar ainda no decurso deste ano, mas se não forem melhoradas as rampas e os cais de atracagem, Cabo Verde vai disponibilizar um outro navio que consiga encostar, "sem problemas", notou o governante guineense.

Para o ministro cabo-verdiano do Mar, Paulo Lima Viegas, além do problema das rampas e cais de atracagem, a amplitude da maré nas ilhas de Bijagós e em Bissau constituem outros dos constrangimentos que devem ser resolvidos.

Ainda não está clara a forma de gestão da futura parceria, mas o governante cabo-verdiano admite a possibilidade de ser criado um consórcio ou apenas ser assinado um protocolo de entendimento, com cunho empresarial e que tenha apoio político, frisou.

MB // LFS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.