O piloto natural de Almada fez a sua melhor volta já no final da sessão, rodando em 1.44,743 minutos, terminando a apenas 0,234 segundos do mais rápido, o australiano Jack Miller (Ducati).

O italiano Francesco Bagnaia (Ducati) foi o segundo mais rápido, a 0,028 segundos do ainda companheiro de equipa, com o campeão Fábio Quartararo (Yamaha) em terceiro, a 0,049 segundos de Miller, apesar de rodar com uma proteção especial no peito fruto dos ferimentos sofridos no domingo, com a queda provocada pelo espanhol Marc Márquez (Honda) no GP de Aragão.

Os dez mais rápidos desta sessão única de 1:15 horas ficaram separados por apenas 0,288 segundos e os 15 primeiros cabem exatamente em meio segundo de diferença, numa das sessões mais competitivas da temporada.

A organização decidiu que esta sexta-feira haveria apenas uma sessão de treinos livres, mais longa, para prevenir eventuais problemas logísticos no transporte de material desde Aragão, onde no domingo se realizou a 15.ª ronda da temporada.

Com previsões meteorológicas a apontarem para a queda de chuva no sábado, a probabilidade de os pilotos melhorarem os seus tempos nos treinos livres de amanhã reduz-se substancialmente, pelo que Miguel Oliveira está em boa posição para garantir a passagem direta à segunda fase da qualificação (Q2).

No sábado realizam-se mais duas sessões de treinos livres (FP2 e FP3) e as duas sessões de qualificação (Q1 e Q2), tendo caído a habitual quarta sessão, que por norma decorre antes da qualificação.

Já o francês Johann Zarco (Ducati) fica, provisoriamente, de fora por apenas uma milésima.

O GP do Japão de MotoGP é a 16.ª ronda da temporada, das 20 previstas.

Fábio Quartararo chega na liderança do campeonato, com 211 pontos, mais 10 do que Francesco Bagnaia, que é segundo. Miguel Oliveira é 11.º, com 95.

 

AGYR // JPS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.