Ronald Koeman, em antevisão do jogo contra Inglaterra, admite estar confiante para o encontro, apesar do cancelamento da viagem de comboio para Dortmund que fez com que a comitiva neerlandesa chegasse atrasada ao local da meia-final.

O selecionador dos Países Baixos deu uma entrevista à UEFA, depois da conferência de imprensa ter sido cancelada. O antigo internacional começou por falar sobre os diferentes estilos de jogo utilizados nos embates frente à Roménia e à Turquia.

«Se olharmos para as nossas vitórias no torneio, podemos ver que houver maneiras diferentes de ganhar. Não se pode jogar o mesmo estilo de jogo. Se não for pelo teu lado, então vamos ter que trabalhar mais duro e ser mais agressivo. E nós sabemos que não existe grande diferença entre as nações, e também para amanhã. Na minha opinião será 50-50. Temos que jogar muito bem, precisamos de ter um jogo perfeito para vencer», começou por dizer.

Ao treinador foi questionado sobre a possibilidade de Luke Shaw estar no onze inicial da Inglaterra e como iria afetar o estilo de jogo praticado pelos ingleses: «É bom saber que tipo de sistema irão jogar. Pode ser quatro defesas, pode ser cinco defesas como jogaram contra a Suíça no último jogo. Mas estamos preparados para ambas as formas de competir contra eles. Sabemos que têm muita qualidade individual. E acho que ambas as equipas são muito fortes e que será um bom encontro.»

Destacou ainda o papel de Nathan Aké e Virgil Van Dijk nos seus respetivos clubes e como a sua experiência poderá ajudar a seleção.

«É sempre importante ter este tipo de jogadores que tiveram muito sucesso com as suas respetivas equipas, mas por outro lado a Inglaterra tem bons jogadores que venceram títulos. E isso é uma boa experiência. Uma equipa não precisa de ter mais experiência que a outra», concluiu.

Os neerlandeses e ingleses enfrentam-se pela sexta vez em competições internacionais. A última vez foi em 2019 na Nations League, onde os oranje sairam com uma vitória de 3-1 depois do prolongamento em Guimarães.