"[No início], o chefe do Estado acedeu ao convite [do governo japonês]", mas na conjuntura atual "considera que não se pode dar ao luxo de participar nos jogos olímpicos, enquanto tem deslocados no país a precisarem da sua atenção", referiu Carlos Mendes, citado hoje pela Rádio Moçambique.

"A menos que o cenário se altere", Filipe Nyusi deverá abdicar do convite, referiu.

Os Jogos Olímpicos, adiados um ano devido à covid-19, vão decorrer entre 23 de julho e 08 de agosto.

Moçambique tem qualificados seis atletas: duas mulheres em boxe, um homem em canoagem e três velejadoras.

LFO/EYAC // SB

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.