A aliança conservadora CDU/CSU, liderada por Armin Laschet, ganhou com 24,1% dos votos, o pior resultado da sua história.

Já os Verdes ficaram em terceiro lugar com 14,8%, seguidos pelo partido liberal FDP com 11,5%.

Esta disputa eleitoral será conquistada por quem conseguir construir uma coligação maioritária entre pelo menos três formações partidárias, após negociações que terão início hoje.

Só depois dos membros do Bundestag designarem formalmente o seu sucessor, o que poderá acontecer dentro de várias semanas ou mesmo de meses, Angela Merkel poderá retirar-se do centro da política alemã.

Pouco depois do encerramento das urnas, o candidato social-democrata Olaf Scholz disse que o resultado é um "sucesso" para o SPD - que conseguiu o melhor resultado desde Gerard Schroder - e que os alemães desejam-no para chanceler da Alemanha.

Apesar da curta vantagem do SPD, os democratas cristãos dizem que têm condições para formar governo, tudo dependendo das alianças que conseguir alcançar.

"Nós vamos fazer tudo para podermos formar um Governo dirigido pela aliança CDU/CSU", disse Laschet.

Agora tudo vai depender das negociações com os outros partidos, sobretudo com os Verdes e com os liberais do FDP.

Em 2017, as negociações com vista à formação do Governo prolongaram-se durante mais de 200 dias.

MIM (PSP) // JMC

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.