"Com uma reação penal anticorrupc¸a~o incipiente, Moc¸ambique na~o descola para melhor no I´ndice de Percec¸a~o da Corrupc¸a~o (IPC) da Transpare^ncia Internacional", lê-se em comunicado.

Depois de em 2020 ter conseguido 25 pontos, em 2021, Moçambique "subiu apenas um lugar no índice, tendo somado 26 pontos, numa escala de 0 a` 100", nota o CIP.

Os dados foram divulgados na terça-feira em Berlim. 

Para a ONG, "a subida de um ponto não revela grandes mudanc¸as nas percec¸o~es" e revela estagnação.

"Moc¸ambique esta´ praticamente 'estacionado', abaixo dos 30 pontos (em 2015), ocupando o lugar 147 num ranking em que o mais corrupto do mundo ocupa o lugar 180", conclui.

A organização Transparência Internacional (TI) tem alertado Moçambique para a necessidade de haver esforços concertados para apoiar "a transparência e a responsabilização", caso contrário o país arrisca-se a entrar numa "espiral descendente", como referiu e 2021, Mokgabo Kupe, conselheira da TI para a África Austral.

O Índice de Perceção da Corrupção (IPC), organizado pela TI, classifica 180 países e territórios pelos níveis de perceção da corrupção no sector público, numa escala de zero (altamente corrupta) a 100 pontos (limpa da perceção de corrupção).

LFO (APL) // PJA

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.