Segundo dados do Corpo de Polícia de Segurança Pública, no final de outubro, a região administrativa especial chinesa tinha 174.382 trabalhadores não residentes, mais 2.638 do que no final de setembro e o valor mais elevado desde fevereiro de 2021.

As estatísticas, divulgadas hoje pela Direção dos Serviços para os Assuntos Laborais, revelam que Macau ganhou 22.504 não residentes desde janeiro, mês em que a mão-de-obra vinda do exterior caiu para menos de 152 mil, o número mais baixo desde abril de 2014.

A cidade tinha perdido quase 45.000 não residentes (11,3% da população ativa) desde o pico máximo de 196.538, atingido em dezembro de 2019, no início da pandemia.

O setor da hotelaria e da restauração foi o que mais contratou desde janeiro, ganhando mais de 10.833 trabalhadores não residentes, seguido da construção civil (mais 4.014) e dos empregados domésticos (mais 2.274).

A hotelaria e a restauração tinha sido precisamente o setor mais atingido pela perda de mão-de-obra durante a pandemia, tendo despedido mais de 17.600 funcionários não residentes desde dezembro de 2019.

O secretário para a Economia e Finanças de Macau, Lei Wai Nong, reconheceu a 03 de fevereiro que os hotéis locais têm sentido falta de pessoal e garantiu que iria negociar com as empresas ligadas ao turismo para "resolver o problema com que o setor se está a deparar".

Macau, que à semelhança da China seguia a política 'zero covid', anunciou em dezembro de 2022 o cancelamento gradual da maioria das medidas de prevenção e contenção, depois de quase três anos de rigorosas restrições.

Com o alívio das medidas, a cidade registou nos primeiros dez meses deste ano 22,7 milhões de turistas, quatro vezes mais do que no mesmo período de 2022, e a taxa de ocupação hoteleira até ao final de outubro foi de 80,9%, o valor mais elevado desde o início da pandemia.

Macau reabriu as fronteiras a todos os estrangeiros, incluindo trabalhadores não residentes, a partir de 08 de janeiro, pondo fim a uma medida de prevenção e contenção da pandemia implementada há quase três anos.

VQ // CAD

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.