A iniciativa surge no seguimento da conclusão do projeto-piloto FISH-i Africa, que teve a duração de um ano, envolvendo, além de Moçambique, as Ilhas Comores, Quénia, Madagáscar, Maurícias, Seicheles e Tanzânia, e cujo sucesso na implementação deverá levar à extensão do programa por um período de mais três anos, com apoio da organização Pew Charitable Trusts.

Cobrindo uma extensão marítima de cerca de cinco milhões de quilómetros quadrados, referente ao conjunto das águas territoriais dos sete países, o programa tem procurado "elevar a cooperação, partilha de informação" entre os estados envolvidos, com vista ao combate à pesca ilegal, não regulamentada e não declarada (IUU Fishing, na sigla em inglês).

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.