O tremor de terra foi registado às 18:36 locais (10:36 GMT) a nordeste de Bislig, em Mindanau, sem que as autoridades relatassem danos ou ativassem um alerta de tsunami.

O USGS, que acompanha a atividade sísmica em todo o mundo, localizou o hipocentro 56 quilómetros abaixo do fundo do mar e cerca de 43,4 quilómetros a leste da cidade de Hinatuan, na ilha de Mindanau, onde vivem cerca de 40.000 pessoas.

A zona deste último sismo é perto do local onde se registou no sábado à noite um terramoto de magnitude 7,6, que levou as autoridades a ativar um alerta de tsunami para as costas das províncias de Surigao del Sur e Davao Oriental, no leste de Mindanau.

O Departamento de Sismologia das Filipinas (Phivolcs) levantou o alerta de tsunami cerca de quatro horas mais tarde, depois de registar uma subida das ondas de até 64 centímetros acima do nível normal da maré.

Desde o forte abalo de sábado à noite, registaram-se mais de 500 réplicas e sismos de menor dimensão.

O terramoto de magnitude 7,6 fez pelo menos dois mortos e causou alguns danos materiais.

As Filipinas situam-se no chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica onde se registam anualmente cerca de 7.000 sismos, a maioria dos quais moderados.

AL // JMR

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.