O mandado de captura contra Oleg Navalny ocorre cerca de 24 horas depois de Alexei Navalny ter sido incluído na lista de "terroristas e extremistas" pelas autoridades de Moscovo.

Alexei Navalny, que ao longo dos anos tem denunciado a corrupção das elites russas e que se encontra detido, foi condenado no ano passado a dois anos e meio de prisão por um caso de "fraude", processo que ele afirma ter motivos políticos.

Navalny foi detido em 17 de janeiro de 2021, no aeroporto de Moscovo, quando regressava da Alemanha após um período de convalescença, no seguimento de um envenenamento que o opositor atribui ao Kremlin (Presidência russa).

Berlim recebeu Navalny quando ele estava em coma e foram os cientistas do exército alemão que identificaram o veneno utilizado, uma substância neurotóxica desenvolvida pelos militares da época soviética.

De acordo com a agência France-Presse (AFP), o nome de Oleg Navalny, 38 anos, surge hoje na lista de pessoas procuradas pelo Ministério do Interior da Rússia por "infrações penais".

Oleg Navalny foi condenado em agosto do ano passado a um ano de prisão por ter infringido as normas sanitárias contra a pandemia de covid-19 ao organizar e participar numa manifestação a favor da libertação do irmão, em janeiro de 2021.

Entretanto, Nikos Paraskevov, advogado de Oleg Navalny, confirmou à agência russa Interfax que o mandado de captura foi emitido, acrescentando que a polícia não encontrou o irmão do reconhecido opositor russo na sua residência.

O advogado disse ainda desconhecer o paradeiro de Oleg, nomeadamente se abandonou o país, como têm feito muitos dos apoiantes de Alexei Navalny nos últimos anos.

Na segunda-feira, um tribunal de Moscovo registou o pedido da administração penitenciária da Rússia que exige a prisão efetiva para Oleg Navalny, que tinha sido condenado a uma pena suspensa. 

O tribunal deve pronunciar-se de forma definitiva sobre o pedido das autoridades prisionais no próximo dia 18 de fevereiro.

Em 2014, os dois irmãos Navalny foram condenados num caso de fraude, tendo Oleg cumprido uma pena de três anos e meio de prisão. 

PSP // SCA

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.